sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

GARATUJA

Ilustração: Antonio Ventura
O desenho nasce nas mãos do criador.
Não precisa o criador ter cursado escolas,
pois o criador de tudo, cheio de luz, é a
própria escola. Os desenhos são garatujas
como as estrelas, como as fases lunares. Amor,
tu és a donzela, a corça graciosa que
salta sobre os montes! Por isso, amor,
o desenho é uma garatuja daquilo que
quero dizer que te amo, e peço tua
mão, como a água que falta para minha
sede, como a camisa quente de que preciso
para dormir nestas noites de inverno!

Ó estrelas! Não confundam nossas sinas
que vislumbramos na luz graciosa da
manhã! Urge que a noite urge. E nossa
esperança é uma faca luzidia. Na
noite resplandescente!


Um comentário:

  1. Gostei do texto!
    Tem força nas palavras e criatividade.
    Parabéns!

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário ou mensagem para o autor.